domingo, 30 de dezembro de 2012

Saiba como planejar, criar e conduzir seu próprio negócio. 60 horas • Início imediato

www.cursos24horas.com.br/parceiro.asp?cod=promocao75771&id=76083" Saiba como planejar, criar e conduzir seu próprio negócio. 60 horas • Início imediato O Empreendedorismo no Brasil vem crescendo ano após ano. Boa parte desse crescimento se deve à tentativa de driblar o desemprego, o que encorajou muitas pessoas a tentar a sorte com o seu próprio negócio. Pesquisas revelam que 27% das empresas fecham logo no primeiro ano de atividade e 56% não completam o 5º ano de vida. O principal motivo para isso é a Falta de Planejamento. As micro e pequenas empresas são as que mais sofrem, pois normalmente não possuem um Plano de Negócios bem estruturado, não administram o caixa de forma eficiente, além de não poderem contar com crédito bancário. Apesar dos dados não serem muito animadores, as estatísticas mostram que os novos empreendedores têm se preparado melhor para abrir seu próprio negócio, e quando isso acontece, a chance de sucesso aumenta muito. Você já pensou em montar o seu próprio negócio? Neste curso você conhecerá as ferramentas necessárias, aprenderá a montar um Plano de Negócios, como Identificar uma Grande Oportunidade e obter sucesso logo nos primeiros anos de vida do seu empreendimento. E mais: Aprenda a identificar uma grande oportunidade de negócios; Conheça histórias reais de empreendedores de sucesso; Saiba como montar e utilizar um plano de negócios; Receba dicas sobre como desenvolver empreendimento. Aprenda tudo por meio de vídeo-aulas dinâmicas e interativas, com um tutor virtual, exemplos e exercícios. Você também pode baixar as apostilas do curso para arquivar e/ou imprimir. Ao final, receba o seu Certificado de Conclusão em casa, sem custo adicional.

Cursos Online é Cursos 24 Horas

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

DEUS SEJA LOUVADO” Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados.


DEUS SEJA LOUVADO”

Política | 
Senhor Presidente,
Senhoras e Senhores Deputados.
            Novamente faço uso desta tribuna para protestar minha indignação, e, com certeza de grande parte do Povo Brasileiro, com a atitude do Senhor Procurador da República, do Estado de São Paulo, Senhor Jefferson Aparecido Dias, que, em nova investida, tenta retirar das cédulas de dinheiro, que, circula em todo o Brasil a frase “Deus Seja Louvado”. Procurador Regional dos Direitos do Cidadão, em São Paulo, o que esse Senhor vê na expressão, que lembra a presença insuperável de Deus em nossas vidas. Será que os direitos do cidadão em São Paulo, estão em um nível de perfeição tão avançado que esse Procurador já não tem preocupação com lides de maior importância? Vejamos, quando esse Procurador argumenta em sua petição que “o Estado Brasileiro é laico, e que deve desvincular-se de qualquer manifestação religiosa”. Sim, o Estado é laico, mas essa simples referência a Deus passa longe de qualquer matiz religiosa.
 Essa frase é tão abrangente que só não é relevante para menos de 2% (dois por cento), da população manifestamente ateu, mesmo assim duvido que algum ateu de bom censo, estaria preocupado com fatos tão rasos, e, que em sã consciência não prejudicam a ninguém, e, não atinando para o fato de que em Países aonde o respeito à individualidade do cidadão e a liberdade religiosa chega aos limites de extremos, ostentam frases semelhantes em suas cédulas e não temos conhecimento de ninguém que tenha se sentido ofendido a ponto de movimentar estruturas do Estado de tamanha relevância. Sou pregador do evangelho, andei dezenas de Países do mundo, e, todos os Estados Brasileiros e nunca vi ninguém desprezar uma cédula de dinheiro por conter essa frase.
            Para por fim a essa polêmica, com constantes investidas desse Excelentíssimo Senhor Procurador da República, no sentido de retirar essa tradicional frase de nosso dinheiro, estou apresentando um Projeto de Lei, dispondo da obrigatoriedade da inscrição em nossas cédulas, dessa frase, e que, além do papel, a tenhamos gravada em nossos corações. Como já citei nesta tribuna, em outra ocasião, quando esse assunto foi apresentado pela primeira vez, lembrei ao Senhor Jefferson Aparecido Dias, Procurador da República, que ele mesmo carregava em seu nome uma referência à Santa, e, nem por isso, tenho certeza, tenha se sentido constrangido.
             Muito Obrigado!

domingo, 4 de novembro de 2012

O desafio de ser líder cristão nos dias atuais


O desafio de ser líder cristão nos dias atuais

Durante o decorrer da história cristã, ser cristão tem sido um desafio constante. Os fiéis sempre encontraram dificuldades: a perseguição na era apostólica, a perseguição promovida por vários imperadores romanos, a inquisição... Muitas vidas foram ceifadas por causa da fidelidade a Jesus. Embora não tenhamos um número exato, alguns acreditam que mais de 70 milhões de pessoas já morreram por causa da fé em Cristo. Outra luta que tem marcado o cristianismo é a luta contra as heresias.
Essa é uma perseguição quase invisível, que produz efeito a longo prazo, e é uma das formas preferidas de Satanás para atacar a igreja. Tanto as perseguições físicas, quanto a tentativa diabólica de enfraquecer a igreja por meio de falsas doutrinas, estão presentes nos dias atuais, observando-se as devidas proporções. O caso ocorrido em Goiania, recentemente, não é exemplo único de perseguição. No mundo vários cristãos, nos dias atuais, estão sendo perseguidos. Ser cristão significa vivenciar constantes desafios!

Cada época e cada contexto tem seus desafios. Hoje eu quero abordar alguns desafios presentes na vida do líder. Principalmente àqueles que ocorrem com maior freqüência ao longo do ministério pastoral. Vejamos:

O DESAFIO DA CREDIBILIDADE
“Quem deu crédito à nossa pregação?” (Isaías 53.1). Esta frase, emprestada do seu contexto original, pode ser representativa de uma realidade bem atual. Quem tem dado o devido crédito à nossa pregação? Pessoas existem que não confiam mais no poder do evangelho, que não confiam mais nas igrejas, que não confiam mais nos pastores, que não acreditam mais nos valores do evangelho... Vivemos uma profunda crise de credibilidade. Os incrédulos se multiplicam na medida em que se multiplicam os escândalos entre nós. Outro fator que causa o descrédito do povo é o surgimento de igrejas-empresas, lideradas por pseudo-pastores, ou igrejas e líderes que surgem em meio a confusão. Conheci um homem que um dia se batizou na igreja onde eu era membro. Ali ele arranjou uma confusão e pediu carta para outra igreja, onde arranjou outra confusão. Isso ocorreu por mais umas três vezes, até que ele fundou a sua própria igreja. Essa igreja hoje é conhecida como a igreja do pastor “fulano”. Talvez você já tenha ouvido a frese: “Hoje qualquer um vira pastor”. Essas pessoas estão vulgarizando o título de pastor! Estão menosprezando a figura da igreja!


Perto da minha casa, existem várias igrejas. Recentemente, uma dessas igrejas, que se reúne num pequeno salão (ponto de comércio) se dividiu, e o grupo faccioso abriu outra congregação bem perto. Temos “igrejinhas” por todos os cantos da cidade, e pastores para quase todas. Muitos de seus líderes são pessoas sem formação, sem o mínimo de preparo, alguns semi-analfabetos, a maioria, talvez, sem vocação. Quando ligamos a TV, encontramos em vários canais pastores negociando com o evangelho. A massa, muitas vezes não distingue o pastor vocacionado por Deus daquele que simplesmente recebe o título. Pior que isso é que ser pastor hoje, não significa, necessariamente, ser idôneo, honesto, bem intencionado, verdadeiro... quantos escândalos visto, recentemente, envolvendo pastores?

O pastor de hoje precisa ter credibilidade! Para isso ele precisa mais que palavras. Nenhuma pregação substituirá o seu viver! A igreja primitiva experimentou crescimento por alcançar crédito diante do povo. Parafraseando Atos 2.47 - “Louvando a Deus, e conquistando a credibilidade de todo o povo. E cada dia acrescentava-lhes o Senhor os que iam sendo salvos.”

O DESAFIO DE LUTAR CONTRA A VAIDADE PESSOAL
  • Seja sincero e responda em seu coração, se você se sente vocacionado para o Ministério Pastoral:
  • Que tipo de igreja você sonha em pastorear? Uma igreja pequena ou uma igreja grande? Numa cidade pequena ou num grande centro?
  • Quanto você gostaria de ganhar?
  • Que tipo de vida você sonha em ter como pastor?
  • Você sonha com algum cargo na sua denominação?
  • Você almeja ser influente?
Sabia que tem gente que vem pro seminário pensando em se preparar para levar uma vida bem-sucedida? Para muitos, ou até mesmo a maioria, esse é o principal (ou o único) objetivo em mente.

Você já viu quantos líderes evangélicos que estão envolvidos em escândalos e quantos já caíram? Eu tenho dito algumas vezes que Deus tem permitido que alguns líderes caiam antes que se tornem deuses. Já viu quanta idolatria há em nosso meio? Recentemente alguém me deu um dinheiro para comprar, de uma só vez, sete Cds de um pastor famoso, que tem programa na TV. Essa pessoa possui uma vasta coleção, com vários Cds. Eu me lembro que uma pessoa da minha família chegou a confiar cegamente num pregador que esteve em evidência na mídia por muito tempo; era Deus no céu e o pregador na terra. Ninguém tinha, na visão dela, uma melhor interpretação da Bíblia e dos fatos que aquele homem. Na última Assembléia da Convenção Batista Fluminense, que recebemos em nossa igreja, tivemos uma “visita de médico” de um vulto de nossa denominação. Enquanto ele passava pelo local eu observava as pessoas que para ele olhavam, com admiração, quase que cultuando... A maioria dos líderes que ganham status não são culpados dessa idolatria, mas muitos falham em não administrar a situação adequadamente. Alguns se entusiasmam... Muitos desses líderes perdem a visão de sua humanidade e passam a não contar com a dependência de Deus, e assim:
Trocam os ideais de Deus pelos seus próprios ideais;

Trocam a graça de Deus pela esforço e capacidade humana;

Trocam a humildade pela soberba;

Prestigiam a quantidade em detrimento da qualidade;

Trocam a posição de servo pelo status de senhor;

Infelizmente tem muita gente buscando algo além da graça de Deus. Como líder, vocacionado pelo Senhor, você precisa crer que a graça de Deus te basta! Esteja feliz com a sua posição. Trabalhe despretensiosamente... queira somente aquilo que for do desejo de Deus.

Quem vive na dependência de Deus, diz como João Batista, em seu testemunho: “É necessário que Ele cresça e que eu diminua” (João 3.30). Não deixe que a vaidade pessoal te afaste dos propósitos de Deus para a sua vida.

O DESAFIO DE NÃO PERDER DE VISTA A VISÃO DE DEUS PARA A IGREJA

A visão de Deus para a igreja é:
  1. Uma igreja firmada na sã doutrina, que reage às heresias e distorções;
  2. Uma igreja missionária, verdadeiramente apaixonada pelas almas, que se esforça para ganhar os perdidos;
  3. Uma igreja que prega o evangelho em sua simplicidade;
  4. Uma igreja, cujo templo seja lugar para culto em espírito e verdade;
  5. Uma igreja preocupada com as pessoas;
  6. Uma igreja, cuja estrutura não seja um empecilho ao evangelho.

A visão de alguns líderes é:
  1. Uma igreja grande, preocupada em crescer ainda mais. Quem sabe uma multidão, que se reúna numa catedral;
  2. Uma igreja firmada em valores aceitáveis para os dias atuais;
  3. Uma igreja que prega um evangelho “politicamente correto”, incapaz de incomodar o pecador (certa ocasião eu preguei sobre Um sermão duro de se ouvir);
  4. Uma igreja cujo templo seja lugar de espetáculo, que atraia multidões;
  5. Uma igreja preocupada em cumprir metas e programas;
  6. Uma igreja que adota uma estrutura ou programa de multiplicação, que não leva em consideração a natureza e a missão da igreja.
O DESAFIO DE NÃO CEDER À TENTAÇÃO DO CRESCIMENTO FÁCIL
No início do meu ministério eu comprei um livro intitulado “O Marketing da Igreja”. Hoje são muitas as obras que tratam do crescimento da igreja, algumas apresentando “fórmulas mágicas”. Hoje em dia temos muito mais seminários sobre crescimento de igrejas que sobre a vida cristã. Existem pastores mais preocupados com a multiplicação que com a maturidade de suas ovelhas. O pragmatismo virou mania; “tudo o que dá certo lá, dará certo aqui também”. Em conversa recente com um pastor muito experiente, do Estado de São Paulo, ele e eu concordamos que e a Igreja de Cristo não pode ser objeto de experiências. A Igreja não é laboratório de experimentos! Não devemos fazer experimentos com pessoas! Todavia, alguns estão tentando recriar a igreja. Em conseqüência disso temos visto muitas divisões, mágoas e tristezas no meio do povo de Deus. Certa ocasião, consultado pela Comissão de Sucessão Pastoral, de uma igreja em que era candidato, sobre qual modelo, método ou programa haveria de utilizar naquele lugar, caso fosse convidado, eu respondi: pregar a palavra, a tempo e fora de tempo. Alguns métodos são bons, mas nada substitui o poder do Evangelho. Sou do tipo que ainda crê que o evangelho, por si só, é impactante - “Uma igreja não amolda seu produto, não o desfigura, não o metamorfoseia. Ela prega a velha mensagem de "Cristo crucificado, poder de Deus para salvação de todo aquele que crê". Ouço hoje pessoas falando da necessidade da igreja dialogar com o mundo. Não sei, exatamente, o que significa isto. Mas sei que a igreja não dialoga. Ela proclama. Ela anuncia uma mensagem de cujo anúncio não se pode furtar. Não se preocupa com a opinião do mundo sobre seu produto. Sabe que é o único produto verdadeiro, não o camufla, não o distorce, não mente sobre ele. É apaixonada por ele.” (Isaltino Gomes Coelho Filho)

Pra muita gente, o tema Crescimento de Igreja virou oportunidade comercial. Tem muita gente sonhando em construir catedral... Em conseqüência da busca descontrolada pelo crescimento numérico, tenho visto muitas igrejas cheias de perdidos que jamais serão transformados, pois estão privados do “confronto” com a Palavra de Deus. Em alguns púlpitos não se toca nas “feridas” (pecados) do homem. Daí porque ser evangélico virou algo tão comum – A Tiazinha é evangélica! O Leão é evangélico! Pasmem!!! - ser evangélico agora é moda.

O VALOR DE UM PASTOR


O VALOR DE UM PASTOR


Pr.Alex dos Santos
  1. O valor de um pastor não é medido por sua popularidade, poder de persuasão ou quantidade de pessoas que atrai, mas sim por seu caráter e fidelidade a Deus (Jo 6.66 e 67);
  2. O valor de um pastor não é medido pela aprovação de homens, mas pela aprovação de Deus. O pastor é segundo o coração de Deus e não segundo o coração dos homens (Jr 3.15);
  3. O valor de um pastor não é medido pelo tamanho de sua igreja, mas por suas qualidades éticas, morais e espirituais;
  4. O valor de um pastor não é medido pelo volume das entradas financeiras de sua igreja, mas por sua capacidade de suprir seu rebanho com a Palavra de Deus. Há pastores que se preocupam com a lã. Há pastores que se preocupam com as ovelhas.
  5. O valor de um pastor não é medido pelo salário que ganha, mas pelo serviço que presta;
  6. O valor de um pastor não é medido por sua capacidade política e de articulação, pois muitas vezes ele deixa de ser “politicamente correto” para permanecer justo e reto diante de Deus;
  7. O valor de um pastor não é medido pelos cargos que ele ocupa na denominação, mas pelo serviço que presta à Obra de Deus;
  8. O valor de um pastor não é medido pela satisfação de seus ouvintes, mas por sua pregação coerente aos valores do evangelho bíblico capaz de transformar vidas. A sua mensagem, ao invés de massagear o ego humano, às vezes desagrada por confrontar o ouvinte com a verdade;
  9. O valor de um pastor não é medido pelo seu poder ou status, mas por sua submissão e obediência a Deus;
  10. O valor de um pastor não é medido por sua autossuficiência. O poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza de homens que às vezes julgamos fracos e incapacitados (2ª Co 12.9);
  11. O valor de um pastor não é medido por sua condição física, mas por sua condição espiritual;
  12. O valor de um pastor não é medido pela quantidade de amigos ou pessoas que o rodeiam, mas sim por seu amor às pessoas;
  13. O valor de um pastor não é medido pelos seus discursos, mas pela autoridade de seu viver (Mt 7.9);
  14. O valor de um pastor não é medido pelo crescimento quantitativo ou não da membresia de sua igreja, mas pelas transformações que suas mensagens geram em seus ouvintes. Há por aí templos cheios de pessoas perdidas, e igrejas pequenas onde pessoas experimentam a salvação em Cristo;
  15. O valor de um pastor não é medido pelo seu poder de empolgar sua igreja ou plateia, pois seu chamado é para pastorear e não para “animar” auditório;
  16. O valor de um pastor não é medido pelas crises que passa ou deixa de passar, mas pela maneira como se comporta em momentos difíceis;
  17. O valor de um pastor é medido por critérios divinos e não humanos.
  18. O pastor é dependente de Deus, e não de homens;
  19. O pastor é homem frágil e pequeno, por meio do qual Deus realiza coisas grandes e extraordinárias;
  20. O pastor sabe que seu chamado é para pastorear e não para gerir empresas; ele não se preocupa com números mas com a saúde de suas ovelhas;
  21. O verdadeiro pastor não se “contextualiza” ao mundo, mas se esforça para tirar vidas do mundo;
  22. O pastor de valor forma valores;
  23. Se você tem um pastor, agradeça a Deus, ore por ele e ame-o!
Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil. (Hb 13.17)

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

HISTÓRIA DO NOSSO MINISTÉRIO


Pr. Alex dos Santos



Nascido 11/01/1973 em São José dos Campos. Sou de uma família bem tradicional, e carregamos conosco os princípios da palavra de Deus, sendo que a maioria já se converteu ao evangélho de Cristo. Participei durante 07 anos do ministério " Palavra da Fé ", dirigida pela Pra. Valnice Milhomes, realizando trabalhos em conferências, cruzadas em todo o território nacional, e onde também me diplomei em Bacharel em teologia, a onde vim á receber o diploma cedido pela Faculdade Teológica Modular C.N.P.J 06.966.619/0001-31, Recebido das mãos, do Pr. Roberto dos Reis Santos - M. Th. Ligado á CGADB21.457 - CEMADES R/98 Curso Regulamentado com parecer livre do c.e.s. 241 de 15/03/1999 do mec - válido em todo território nacional - atende os artigos 30 e 66 do conselho de educação cristã da CGADB. Hoje sou Pastor  Presidente  da Igreja  Assembléia de Deus Ministério Geração de Fogo Salvando Almas Para Cristo. .. situado na Rua: Gilberto Menotti Eugênio Cara nº 44 - Bairro Palmeiras de São José Próximo do Corpo de Bombeiro do Parque Industrial. Cidade de São José dos Campos - SP

MINHA FAMILAO Pr. Alex dos santos é um homem que valoriza as relações familiares. Para ele não existe sucesso fora de casa que justifique o fracasso do lar.

ENSINO TEOLÓGICO
Atualmente, o Pr. Alex dos Santos tem pregado á palavra de Deus por todo esse Brasil.. participando de grandes eventos evangélicos, sendo que além das cruzadas que realiza por todo o brasil, também, quando é agendado para dar o curso de teologia..ele se torna professor,lecionando,no Seminário Inter-denominacional, devidamente regularizado que funciona por extensões ou núcleos que são estabelecidos na igreja local, a fim de baratear os custos para o aluno que deseja conhecer melhor a palavra de Deus. fale com o seu pastor e leve um núcleo até a sua igreja. O curso de teologia é uma verdadeira revolução espíritual para sua família. Já lecionamos em diversos seminários teológicos espalhados pelo Brasil. Nestes 10 anos lecionando, mais de 1200 pessoas já passaram por suas aulas em diferentes denominações e mais de 300 já se formaram e hoje são Pastores, Evangelistas, Presbíteros, Diáconos, Missionários, ou de algum modo estão servindo ao Senhor.

Faça Teologia conosco, contatos: (12) 9107-6291
A Escola Superior de Teologia do ES é uma escola teológica com personalidade jurídica, cuja missão é “preparar líderes e obreiros cristãos para um melhor desempenho ministerial e formar multiplicadores do genuíno conhecimento bíblico”.
Nossa visão é ser a maior e mais qualificada escola de teologia livre do Brasil e referência em cursos de teologia à distância.
Nosso maior desejo é apresentar um curso de teologia que seja motivador e didaticamente atrativo ao aluno, fazendo da ESUTES uma escola acessível a todo estudante que almeje conhecer melhor a pessoa de Deus 
Esse foi um dos seminários que realizamos.


AQUI ERA EU RECEBENDO MEU DIPLOMA DE BACHAREL EM TEOLOGIA....E OS PASTORES QUE COMPUNHÃO A MESA. E OS NOSSOS ALUNOS, OS FORMANDOS, FOI PARA NOS UMA GRANDE REALIZAÇÃO. CONQUISTADA.

MATERIAL DOS NOSSOS TRABALHOS REALIZADOS NAS IGREJAS!


SE VC DESEJA CONTRIBUIR COM NOSSO MINISTÉRIO, ADIQUIRA JÁ NOSSO MATERIAL DIDATICO, TEMOS ELES EM CD, E DVDS, E APOSTILAS COM TEMAS PROFÉTICOS QUE PREGAMOS POR TODO BRASIL, COMPRANDO VC ESTARÁ CONTRIBUINO COM AS NOSSAS CRUZADAS, E NOS AJUDANDO A GANHAR ALMAS PARA JESUS.



QUANDO VC OUVIR ESSA MENSAGEM SUA VIDA NUNCA MAIS SERÁ A MESMA PEÇA! AGORA MESMO ESSE CD..



TEM ALGUÉM DE OLHO NA SUA HERANÇA, OUTRA MENSAGEM QUE VAI MUDAR COMPLETAMENTE O RUMO DA SUA CASA...PESSOAS USADAS POR ESPIRITOS MALIGUINOS TENTAM TIRAR O DIREITO DOS FILHOS DE DEUS DE SEREM ABENÇOADOS..NÃO PERMITA ISSO! SE LEVANTE AGORA MESMO, RESISTA -O E ELE FUGIRÁ DE SUA CASA..PEÇA AGORA MESMO ESSE CD..!!


A SAGA DA REDENÇÃO, UMA MENSAGEM QUE VAI IMPACTAR SUA VIDA NESSES ULTIMOS DIA DA IGREJA AQUI NA TERRA DEUS LANÇA UMA PALAVRA DE TRANFORMAÇÃO, MUITAS PESSOAS SERAM ALCASSADAS PALA PALAVRA DE DEUS, DEUS JÁ COMEÇOU Á COLHEITA...SE PREPARETE
TEMOS UMA REGRA DE FÉ, E PROCURAMOS SEGUI-LÁ COM OBEDIÊNCIA, PORQUE ENTENDEMOS QUE TEMOS UMA CHAMADA PARA CONDUZIRMOS ALMAS AO REINO DO CEUS, ONDE SE ENCONTRA O NOSSO SENHOR JESUS, DEVIDO A ISSO QUE PREGAMOS A TODAS AS PESSOAS QUE PODEMOS ENCONTRAR, NO CAMINHO 
Somos um ministério cristão de cunho avivalístico e evangelístico fundado pelo EV: ALEX DOS SANTOS, sendo que já a mais de 5 anos carreagamos conosco esse nome AVIVAMENTO COM FOGO, porque estamos vendo Deus Reinar ATRAVEZ DO SEU ESPÍRITO, sobre as pessoas, que tem como ênfase a edificação da família, o cerne da sociedade.

Cremos que esse nome para nós representa toda verdade que a humanidade preciza saber, que ele é.....:

a) O Elohim (Deus) de Avraham, Yitzhak e Yaakov (Abraão, Isaque e Jacó) é onipotente, onisciente, onipresente e triúno. Eternamente subsistente na unidade (echad), não confundindo as pessoas, nem dividindo as substâncias. Manifesto como:

Yahweh (Deus-Pai), criador e conservador de todas as coisas, visíveis e invisíveis;

Yeshua (Deus-Filho), o Sar Shalom (Príncipe da Paz), concebido no ventre da virgem Miriam (Maria) pelo poder de Ruach HaKodesh. Nasceu e viveu sem pecados. Foi crucificado, morto e sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus, e está sentado à direita do Pai. Ele é HaMashiach (O Messias). O nosso Cohen HaGadol (Sumo Sacerdote). O único mediador entre os homens e Yahweh;

Ruach HaKodesh (Deus-Espírito Santo), o que convence o homem do pecado, da justiça e do juízo. O nosso santificador, ajudador e consolador. Aquele que nos capacita a executar os propósitos de Yahweh na Terra.

b) HaSatan (satanás) é uma pessoa e não uma mera qualidade do mal. Ele é mentiroso e pai de toda mentira. Veio para roubar, matar e destruir.

c) A Bíblia Sagrada, Tanak (Velho Testamento) e Brit HaDasha (Novo Testamento), é a infalível e irrefutável palavra de Yahweh. A revelação de sua vontade aos homens. Sendo assim, a nossa única regra de fé e conduta.

d) Todos são pecadores e estão por natureza separados de Yahweh a caminho do inferno, carecendo por isso de salvação.

e) A salvação é um presente de Yahweh obtida unicamente mediante a aceitação do sacrifício de Yeshua (Jesus) na cruz do Calvário. Nunca, ninguém, desde Adão, foi, é ou será salvo por qualquer outro meio, seja ele, religião, obras, tradições, batismos, ritos ou obediência à lei mosaica.

f) O batismo nas águas é um ato de profissão de fé público. Uma demonstração externa de uma transformação interna. Portanto, o Batismo significa a nossa identificação com a morte, sepultamento e ressurreição de Yeshua (Jesus). Quando somos imergidos na água, declaramos a nossa morte para o Pecado. E quando saímos da água, declaramos a nossa ressurreição para uma nova vida.

g) A Santa Ceia é um ato simbólico através do pão e do vinho da participação do corpo e do sangue de Yeshua (Jesus). É um momento de recordação do que ele fez por nós ao morrer na cruz para a remissão dos nossos pecados. Quando a celebramos, estamos anunciando a sua morte até que ele volte. Os elementos são, portanto, figurativos, e não literais.

h) A segunda vinda de Yeshua (Jesus) sucederá em duas fases distintas:

i) Primeira - Será invisível, e acontecerá antes da grande tribulação para buscar a sua igreja. Onde os mortos salvos, ressuscitarão primeiro, e os vivos salvos serão transformados num abrir e fechar de olhos, e juntos encontraremos com ele nos ares.

j) Segunda - Será visível aonde ele virá com sua igreja e seus anjos para estabelecer o seu reino milenar na Terra.

k) A igreja é o corpo de Yeshua (Jesus). Formada por todos aqueles que adoram a Yahweh em espírito e em verdade, independentemente da denominação a que pertençam ou do lugar onde se reúnam.

l) Aqueles que morrerem em seus pecados sem aceitar o sacrifício de Yeshua (Jesus), serão julgados pelas suas obras más, e condenados ao lago de fogo e enxofre junto com satanás, seus anjos, o anticristo, a besta e o falso profeta. Não haverá mais oportunidade de voltarem a ouvir o Evangelho para arrependimento. Este castigo é eterno, assim como é eterna a recompensa dos Justos na presença de Yahweh num êxtase de paz e alegria.

ONFERÊNCIAS MACF POR SÃO PAULO E TODO O Brasil Conheça alguns temas de conferências que temos ministrado pelo Brasil.UM HOMEM ENVIADO POR DEUS.
À TENTAÇÃO E A GRAÇA PARA VENCÊ-LA.
PRINCÍPIOS DAS DORES, FIM DOS DIAS.
BOAS INTENSÕES, NÃO SÃO SUFICIENTES PARA EVITAR A MALDIÇÃO FAMILIAR.
INTRODUÇÃO AS EPÍSTOLAS.
REALIDADE DA NOVA ALIANÇA.
ESCATOLOGÍA.

Outros temas sugeridos pela igreja local. OBSERVAÇÃO: As conferências MACF são acompanhadas de apostílas e um lindo certificado de participação. geralmente é feito em treis dias, á critério da igreja local.

CRUZADA EVANGELISTIC
Você quer nos convidar para ir em sua cidade, atravéz da cruzada que realizamos, é muito símples, a cruzada pode variar de dois a uma semana inteira.Pode ser realizada na igreja local ou em um espaço público, aberto ou fechado. Os cultos são realizados à noite em uma parceria feita da igreja que hospeda a cruzada com outras igrejas da região. Nas noites que acontecem a cruzadas, o Pr. Alex dos Santos prega a mensagem simples da salvação, focalizando diretamente o pecador. os resultados são conversões sinceras, que redundam em glórias ao Senhor Jesus. Durante o dia, geralmente é realizado um seminário de evangelismo e missões, ou qualquer outro tema, visando o despertamento da igreja local para a obra de ganhar almas. A cruzada fogo para as nações nasceu da visão que o Senhor Deus deu ao seu servo irmão Pr. Alexandro dos Santos, para a prática do evangelismo de massas. Já foram realizadas algumas mini-cruzadas em resultados surpriendentes.

CAMPANHAS EVANGELISTICAS
Através do MACF o Pr. Alex dos Santos leva a palavra de Deus com o mesmo entusiasmo. Seja falando a muitas pessoas em grandes congressos ou cruzadas, ou a uma igreja pequena, onde é convidado.feitas com temas.
O Pr. Alexandro dos Santos é um homem com um ímpeto de urgência, e não um homem com uma mente dividida. Nada é mais importante do que o Evangélho, nem fama, dinheiro, prazeres desta terra ou a vida em si mesma. Jesus tinha uma atração fatal pelo miserável e isto o levou para a cruz. Ele trouxe a sua cura e salvação para os quebrantados, independente das consequências.
Se Deus pode usar a spurgeon: logo, pode usar a mim também. Na conferência Mundial de Dublim, Inglaterra, Moody ouvia Henrique Varley pregar com 37 anos de idade, Varley Já havia percorrido o mundo de então como grande pregador do Evangelho. No intervalo de uma dessas pregações, Deus usou a Varley para pronunciar as seguintes palavras: "O mundo ainda está por ver o que Deus fará com um homem total e completamente consagrado a ele ". Ainda hão de voltar os dias do Senhor na terra. " Porem, para que isto aconteça ele precisa de homens e mulheres total e inteiramente entregues e submissos à sua vontade, e inflamados com o fogo do céu.
NOTÍCIA Á QUEM DEUS CHAMA

Introdução

Os doze discípulos eram qualquer coisa menos super-homens. Como Jesus escolheu Seus discipulos? Em Lucas 6:12-17 lemos: “Naqueles dias, retirou-se para o monte, a fim de orar, e passou a noite orando a Deus. E, quando amanheceu, chamou a si os seus discípulos e escolheu doze dentre eles, aos quais deu também o nome de apóstolos: Simão, a quem acrescentou o nome de Pedro, e André, seu irmão; Tiago e João; Filipe e Bartolomeu; Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado Zelote; Judas, filho de Tiago, e Judas Iscariotes, que se tornou traidor. E, descendo com eles,...” Jesus orou “a noite toda” antes de selecionar os Seus discípulos. Comumente, pensa-se que durante a noite, Deus colocou o nome de cada apóstolo, um a um, na mente do Senhor – “Bartolomeu, Mateus, Tadeu...” – e que o Senhor fez uma lista dos personagens divinamente indicados e aprovados. Talvez Ele tenha gastado uma hora em cada um deles, para confirmar que havia feito a escolha certa. “Ele orou por toda a noite”, o que significa, dizem os entendidos, doze horas: uma hora por cada apóstolo. Agora, eu ouso perguntar, foi realmente aquilo que Ele fez? Pedir por direção para escolher homens com a capacidade e potencial certos, cuja grandeza Deus podia ver de antemão? Eles deveriam ser pessoas a quem um crítico de personalidade designaria para um alto cargo? Ou Jesus estava na realidade lutando contra uma tentação, por escolher homens cuja capacidade natural provaria serem adequados? Homens com qualidades distintas e nobres: o notável, o brilhante, o influente, o poderoso? Imagino que pode ter sido assim. Podem ter sido doze horas de oração lutando entre a maneira natural do mundo planejar sucesso, designando homens talentosos, e a maneira de Deus. O método divino, por todo o Velho Testamento, era que Deus escolhia pessoas insignificantes, rejeitadas: “e Deus escolheu as coisas humildes do mundo, e as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são;” (I Coríntios 1:28).
Pessoas Chamadas para Sua Obra
Jesus orou e voltou para selecionar os apóstolos mais improváveis – quase qualquer um. Ele deu de cara com jovens sem qualidades quaisquer a não ser os próprios traços do carácter humano: o impetuoso Pedro e seu irmão mais calmo, André, os filhos cabeça-quente de Zebedeu, o racionalista Tomé, o sociável Felipe e o desonesto Judas. Quando Deus escolhe, não é importante quem somos; o que Ele faz de nós é o que conta. Ele escolheu um improvável punhado de homens locais. Um ou dois foram selecionados somente por serem parentes. Tiago e João eram filhos de Salome, a qual se acredita ser irmã de Maria mãe de Jesus. Eles sempre O conheceram. Jesus passeou ao longo da praia onde, por acaso, estavam pescadores locais, e os chamou. Quase pareceu que Ele selecionou os primeiros jovens companheiros com quem se deparou naquela manhã. Quando as pessoas “não são boas” na Alemanha, aqueles que constantemente falham nos seus esforços diários, nós os chamamos de: “zero à esquerda”. No entanto, esses são aqueles em quem Deus está especialmente interessado. Quando Jesus chama um “zero à esquerda” e este “zero” responde, logo perceberá que o Senhor é o “Número Um” e que, um “zero” perto de um “Um” é igual a DEZ! Em outras palavras: JESUS DÁ VALOR A CADA ZERO, CONTANTO QUE ELE SEJA O NÚMERO UM! O imprestável torna-se altamente valioso. Essa é a maneira com que Deus constrói o Seu Reino. Assim foi com os primeiros discípulos e assim o é hoje. Eu reivindico isso como meu próprio testemunho também.

O SEGREDO DE CRSISTOHá 2.000 anos atrás, o mundo era um lugar selvagem. Era um lugar de derramamento de sangue, paixões incontroláveis e um ódio fanático. Seus principais prazeres eram: imoralidade, idolatria, indulgência, e, o pior de tudo, a crueldade. As multidões consideravam-nos dias maravilhosos para sair e ouvir os gemidos das pessoas torturadas e moribundas. Os discípulos tiveram que levar o Evangelho àquele mundo, e o Evangelho centralizava-se na crueldade sofrida por Jesus. Também foi lugar para muito aprendizado. A influência dos grandes pensadores gregos era forte e novas idéias eram avidamente procuradas. Os discípulos não ofereciam idéias, mas somente a estória de um Messias crucificado. Pedro, Tiago, João, Simão e Tomé não eram sofisticados e ignorantes; eles até falavam com sotaque Galileu, o que era exatamente o oposto de elegância da cidade. Que esperanças tinha o Cristianismo, deixado nas mãos de alguns rudes e incultos pescadores; homens com ciúmes uns dos outros e cheios de dúvidas? Então, pensando nesses homens e no seu mundo desde o início, o Evangelho parecia sentenciado ao fracasso. Doze homens locais que nunca haviam viajado 50 milhas nas suas vidas, deveriam ir por todo o mundo, o mundo Romano, conquistar exércitos vencedores, sacudir o imperador no seu trono e converter as tribos selvagens nas suas fronteiras. Sem dúvida, Jesus anteviu esses doze se tornando uma força mundial, mas Ele confiou em doze homens, filhos de trabalho difícil, alguns deles quase camponeses, para providenciar o primeiro elo vital entre Ele e a poderosa igreja por vir. O segredo de Cristo era a capacitação pelo Espírito Santo no Dia de Pentecoste. Bem, do que estamos com medo?

segunda-feira, 16 de julho de 2012

PREGANDO NA IGREJA BREVE JESUS CRISTO VOLTARÁ

video

culto caseiro.

video


INTERPRETAÇÃO

1 É na mocidade que a força e a resistência são maiores. Salomão nos aconselha a usar a energia a serviço do nosso Criador. Ele contrasta a mocidade com a velhice. Quando envelhecemos, a força diminui.

Fazemos menos, mas as dores aumentam. Agora, os desejos e esperanças da mocidade já passaram. É frustrante perder o vigor que tínhamos, especialmente com a sabedoria acumulada ao longo da vida. Salomão reafirma o tema de Eclesiastes: Devemos lembrar-nos do nosso Criador.

2 “Antes que se escureçam o sol, e a luz, e a lua, e as estrelas, e tornem a vir as nuvens depois da chuva;”. As fontes de luz “o sol, e a luz, e a lua, e as estrelas” tornando-se escuridão, fala do chegar da idade quando os olhos não podem contemplar as maravilhas da criação, são imagens verbais para nos ajudar a imaginar o que acontece quando a visão começa a enfraquecer.

3 “No dia em que tremerem os guardas da casa,( aqui temos uma alusão sobre os joelhos que não mais sustentam o corpo) e se encurvarem os homens fortes, ( literalmente, os mais fortes não podem mais serem sustentados por suas pernas e andarem encurvados) e cessarem os moedores, por já serem poucos, (aqui nos fala dos dentes que moem os alimentos já serem poucos por conta da idade) e se escurecerem os que olham pelas janelas; ( novamente nos fala dos olhos)” No sentido mais amplo, o envelhecimento traz perda de força.


DEUS CRIADOR
Ec.3.11 – Deus fez tudo formoso em seu tempo. Deus faz uma obra oculta.
Ec.3.14 – O que Deus fez durará eternamente.
Ec.7.14 – Deus fez o dia da prosperidade e o dia mau. Não podemos ter uma visão parcial, como se as adversidades estivessem fora dos planos de Deus.
Ec.8.17 – Obra de Deus.
Ec.11.5 – Obra de Deus.
Ec.12.1 – Lembra-te do teu Criador.
DEUS DOADOR
Ec.1.13 – Deus dá o trabalho ao homem.
Ec.2.24 – Deus dá oportunidade para que o homem usufrua do fruto do seu trabalho.
Ec.2.26 – Deus dá ao homem sabedoria, conhecimento, alegria e trabalho.
Ec.3.10 – Deus dá o trabalho ao homem.
Ec.3.12-13 – Deus dá oportunidade para que o homem usufrua do fruto do seu trabalho.
Ec.5.18 – Deus dá ao homem o tempo de vida.
Ec.6.2 – A alguns, Deus deu riquezas. Dentre esses, alguns não receberam a condição de uso das mesmas.
Ec.8.15 – Deus nos dá a vida.
DEUS JUIZ
Ec.3.15 – Deus pede contas do que passou.
Ec.3.17 – Deus julgará o justo e o ímpio suprindo a falta da justiça humana (v.16).
Ec.11.9; 12.14

Deus está procurando homens e mulheres


Deus está procurando homens e mulheres de verdade, pessoas que tenham maturidade, seriedade, compromisso, responsabilidade, disposição para aprender, que sejam pessoas de palavra. Deus não está à procura de "crianças" imaturas, que se comportam e reagem à vida de forma irresponsável e infantil. Muitas pessoas revelam-se totalmente despreparados para o exercício de seu ministério por se comportarem como crianças em Cristo. Normalmente, tais pessoas colocam obstáculos em tudo que lhes é proposto e dificultam as relações com as pessoas ao seu redor. Tendem a murmurar sempre, a criticar tudo, nunca se dispõem a servir e criam contendas e divisões dentro da igreja.

domingo, 10 de junho de 2012

Ser pastor


Qual o sentido dessa palavra? Ser pastor! Uma afirmação tão pequena, mas repleta de tanto significado!
Ser pastor é muito mais que ser um pregador. Está além de ser um administrador de igreja. Muito além de professor ou conferencista. Ser pastor é algo da alma, não apenas do intelecto.
Ser pastor é sentir paixão pelas almas. É desejar a salvação de alguém de forma tão intensa, que nos leve à atitude solidária de repartir as boas-novas com ele. É chorar pelos que se mantém rebeldes. É pensar no marido desta irmã, no filho daquela outra, na esposa do obreiro, nos vizinhos da igreja, nos garotos da rua. Ser pastor é tudo fazer para conseguir ganhar alguns para Cristo.
Ser pastor é festejar a festa da igreja. É alegrar-se com a alegria daquele que conquista um novo emprego, daquele que gradua-se na faculdade, daquele que recebe a escritura da casa própria ou do outro que recebeu alta no hospital. Ser pastor é ter o brilho de alegria ao ver a felicidade de um casal apaixonado, ao ver o sucesso na vida cristã de um jovem consagrado, é festejar a conversão de um familiar de alguém da igreja por quem há tempos se vinha orando. Ser pastor é desejar o bem sem cobiçar para si absolutamente nada, a não ser a felicidade de participar dessa hora feliz.
Mas ser pastor também é chorar. Chorar pela ingratidão dos homens. Chorar porque muitas vezes aqueles a quem tanto se ajudou são os primeiros a perseguirem-nos, a esfaquearem-nos pelas costas, a criticarem-nos, a levantarem falso testemunho contra a igreja e contra nós. É chorar com os que choram, unindo-nos ao enlutado que perdeu um ente querido, é dar o ombro para o entristecido pela perda de um amor, é ser a companhia do solitário, é ouvir a mesma história uma porção de vezes por parte do carente. Chorar com a família necessitada, com o pai de um drogado, com a mãe da prostituta, com a família do traficante, com o irmão desprezado.
Ser pastor é não ter outro interesse senão o pregar a Cristo. É não se envolver nos negócios deste mundo, buscando riquezas, fama e posição. É saber dizer não quando o coração disser sim. É não ir à casa dos ricos em detrimento dos pobres. É não dar atenção demasiada para uns, esquecendo-se dos outros. É não ficar do lado dos jovens, em detrimento dos adultos e vice-versa. Ser pastor é não envolver-se em demasia com as pessoas, ao ponto de se perder a linha divisória do amor e do respeito, do carinho e da disciplina. Ser pastor é não aceitar subornos nem tampouco desprezar os não expressivos.
Ser pastor é ser pai. É disciplinar com carinho e amor, conquanto com a firmeza da vara, da correção e, não raras vezes, da exclusão de pessoas queridas. É obedecer a Bíblia, não aos homens. É seguir a Deus, não ao coração. Ser pastor é ser justo. Ser pastor é saber dizer não, quando a emoção manda dizer sim. Ser pastor é ter a consciência de não ser sempre popular, principalmente quando tiver que tomar decisões pesadas e difíceis, e saber também ser humilde quando a bênção de Deus o enaltecer diante do rebanho e diante do mundo. Os erros são nossos, mas a glória é de Deus.
Ser pastor é levantar-se quando todos estão dormindo e dormir quando todos estão acordados, socorrendo ao necessitado no horário da necessidade. Ser pastor é não medir esforços pela paz. É pacificar pais e filhos, maridos e esposas, sogros e genros, irmãos e irmãs. Ser pastor é sofrer o dano, o dolo, a injustiça, confiando nAquele que é o galardoador dos que o buscam. Ser pastor é dar a camisa quando lhe pedem a blusa, andar duas milhas quando o obrigam a uma, dar a outra face quando esbofeteado.
Ser pastor é estar pronto para a solidão. É manter-se no Santo dos Santos de joelhos prostrados, obtendo a solução para os problemas insolúveis. Ser pastor é não fazer da esposa um saco de pancadas, onde descontar sua fragilidade e cansaço. Ser pastor é ser sacerdote, mantendo sigilo no coração, mantendo em segredo o que precisa continuar sendo segredo, e repartindo com as pessoas certas aquilo que é "repartível".  Ser pastor é muitas vezes não ser convidado para uma festa, não ser informado de uma notícia ou ser deixado de fora de um evento, e ainda assim manter a postura, a educação, o polimento e a compaixão. Ser pastor é ser profeta, tornar o seu púlpito um "assim diz o Senhor", uma tocha flamejante, um facho de luz, uma espada de dois gumes, afiada e afogueada, proclamando aos quatro ventos a salvação e a santificação do povo de Deus.
Ser pastor é ser marido e ser pai. É fazer de seu ministério motivo de louvor dentro e fora de casa. É não causar à esposa a sensação de que a igreja é uma amante, uma concorrente, que lhe tira todo o tempo de vida conjugal. Ser pastor é amar aos seus filhos da mesma forma que ensina aos pais cristãos amarem aos seus. É olhar para os olhos de seus filhos e ver o brilho de seus próprios olhos. É preocupar-se menos com o que os outros vão pensar e mais no que os filhos vão aprender, sentir e receber. É ver cada filho crescer, dando a cada um a atenção e o amor necessários. É orgulhar-se de ser pai, alegrar-se por ser esposo, servir de modelo para o povo. E, quando solteiro, tornar a sua castidade e dignidade modelo dos fiéis, enaltecendo ao Senhor, razão de sua vida.


Ser pastor é pedir perdão. Se os pastores fossem super-homens, Deus daria a tarefa pastoral aos anjos, mas preferiu fazer de pecadores convertidos os líderes de rebanho, pois, sendo humanos, poderiam mostrar aos demais que é possível ser uma bênção. Mas, quando pecarem, saberem pedir perdão. A humildade é uma chave que abre todas as portas, até as portas emperradas dos corações decepcionados. A humildade pode levar o pastor à exoneração, como prova de nobresa e integridade, como pode fazê-lo retomar seus trabalhos com maior pujança e vigor. Há pecados que põem fim a um ministério e ser pastor é saber quando o tempo acabou. Recomeçar é possível, mas nem sempre. Ser pastor é saber discernir entre ficar ou sair, entre continuar pastor e recolher-se respeitosamente.
Ser pastor é crer quando todos descrêem. Saber esperar com confiança, saber transmitir otimismo e força de vontade. É fazer de seu púlpito um farol gigantesco, sob cuja luz o povo caminha sempre em frente, para cima e em direção a Deus. Ser pastor é ver o lado bom da questão, é vislumbrar uma saída quando todos imaginarem que é o fim do túnel. Ser pastor é contagiar, e não contaminar. Ser pastor é inovar, é renovar, é oferecer-se como sacrifício em prol da vontade de Deus. Ser pastor é fazer o povo caminhar mais feliz, mais contente, é fazer a comunidade acreditar que o impossível é possível, é fazer o triste ser feliz, o cansado tornar-se revigorado, o desesperado ficar confiante e o perdido salvar-se. As guerras não são ganhas com armas, mas com palavras, e as do pastor são as palavras de Deus, portanto, invencíveis. 
Ser pastor é saber envelhecer com dignidade, sem perder a jovialidade. É ser amigo dos jovens e companheiro dos adultos. Ser pastor é saber contar cada dia do ministério como uma pérola na coroa de sua história. Ser pastor é ser companhia desejada, querida, esperada. É saber calar-se quando o silêncio for a frase mais contundente, e falar quando todos estiverem quietos. Ser pastor é saber viver. Ser pastor é saber morrer.
E quando morrer, deixar em sua lápide dizeres indeléveis, que expressem na mente de suas ovelhas o que Paulo quis dizer, quando estava para partir: "combati o bom combate, terminei a carreira, guardei a fé". Ser pastor é falar mesmo depois de morto, como o justo Abel e o seu sangue, através de sua história, de seu exemplo, de seus escritos, de suas gravações. Ser pastor é deixar uma picada na floresta, para que outros venham habitar nas planícies conquistadas para o Reino do Senhor. Ser pastor é fazer com que os filhos e os filhos dos filhos tenham um legado, talvez não de propriedades, dinheiro ou poder político, mas o legado do grande patriarca da família, daquele que viveu e ensinou o que é ser um pastor.
Eu sou pastor.
Obrigado, Senhor!

segunda-feira, 21 de maio de 2012

CANTORES GOSPEL OU ASTROS


No início aquele nervosismo para ter uma oportunidade, chega na igreja mais cedo, ora sempre que possível, está sempre na escola bíblica para aprender a palavra de Deus, um cantor que busca sempre a presença de Deus,mais quando o sucesso chega ai vem as mudanças, não vai mais na igreja sem convite, vem os valores para apresentação, começa a esquecer os seu lideres, pensam que são os donos da igreja, as estrelas da igreja, pena que acompanhamos isso todos os dias, uma absurdo o que acontece hoje no meio gospel, hoje não temos muitas músicas de qualidade, o que temos são quase mantra, repetições sem serem necessária, sem base bíblica na palavra de Deus, versões mundanas, estão profanando a musica gospel, qual a diferença de convidar Roberto Carlos e um desses astros da musica gospel? só alguns valores em real só isso e mais nada, ate que ponto estamos chegando, onde estão os verdadeiros levitas? Cadê aqueles que adoram de verdade? Hoje o que temos muitas vezes em nossas igrejas são Show gospel e não adoração, pena que esta doença esta afetando muitos, cantores que no começo uma benção, hoje uma maldição para muitos, é dura esta palavra mais é a verdade, ate que ponto esta chegando também a idolatria em nosso meio, idolatria não é só se prostra diante de uma imagem, não apenas isso, mais também adorar certos astros da música gospel.
Estamos vivendo, no fim dos tempos, estão profanando o altar do senhor, ate quando vamos ver isso acontecendo em nosso meio, hoje no Brasil qualquer igreja para levar algum desses astros tem que tirar valores altos, para eles cantar umas músicas, estamos esquecendo de Deus, dos verdadeiros adoradores, adorar não é só se emocionar, adoração vai além da emoção, o que estamos vendo hoje são cópias, Xerox baratas e falsificação de verdadeiros adores, a maioria dos nossos cantores gospel hoje, são astros, exibidos, e acima de tudo falta humilde que começou, mais ainda há tempo de voltar ao primeiro amor, se não lá no inferno vai ter lugar para tantas vozes lindas, maravilhosas, mais que não adorava a Deus.

OQUE ACONTECEU COM OS EVANGÉLICOS?

Quando Paulo Romeiro escreveu Evangélicos em Crise em meados da década de 90, ele apenas tocou em uma das muitas áreas em que o evangelicalismo havia entrado em colapso no Brasil: a sua incapacidade de deter a proliferação de teologias oriundas de uma visão pragmática e mercantilista de igreja, no caso, a teologia da prosperidade.Fica cada vez mais claro que os evangélicos estão atualmente numa crise muito maior, a começar pela dificuldade – para não falar da impossibilidade – de ao menos se definir hoje o que é ser evangélico.Até pouco tempo, “evangélico” indicava vagamente aqueles protestantes de entre todas as denominações – presbiterianos, batistas, metodistas, anglicanos, luteranos e pentecostais, entre outros, que consideravam a Bíblia como Palavra de Deus, autoritativa e infalível, que eram conservadores no culto e nos padrões morais, e que tinham visão missionária.Hoje, no Brasil, o termo não tem mais essa conotação. Ele tem sido usado para se referir a todos os que estão dentro do cristianismo em geral e que não são católicos romanos: protestantes históricos, pentecostais, neopentecostais, igrejas emergentes, comunidades dos mais variados tipos, etc.É evidente a crise gigantesca em que os evangélicos se encontram: a falta de rumos teológicos definidos, a multiplicidade de teologias divergentes, a falta de uma liderança com autoridade moral e espiritual, a derrocada doutrinária e moral de líderes que um dia foram reconhecidos como referência, o surgimentos de líderes totalitários que se auto-denominam pastores, bispos e apóstolos.A conquista gradual das escolas de teologia pelo liberalismo teológico, a falta de padrões morais pelos quais ao menos exercer a disciplina eclesiástica, a depreciação da doutrina, a mercantilização de várias editoras evangélicas que passaram a publicar livros de linha não evangélica, e o surgimento das chamadas igrejas emergentes. A lista é muito maior e falta espaço nesse post.Recentemente um amigo meu, respeitado professor de teologia, me disse que o evangelicalismo brasileiro está na UTI. Concordo com ele. A crise, contudo, tem suas raízes na própria natureza do evangelicalismo, desde o seu nascedouro.Há opiniões divergentes sobre quando o moderno evangelicalismo nasceu. Aqui, adoto a opinião de que ele nasceu, como movimento, nas décadas de 50 e 60 nos Estados Unidos. Era uma ala dentro do movimento fundamentalista que desejava preservar os pontos básicos da fé (veja meu post sobre Fundamentalismo), mas que não compartilhava do espírito separatista e exclusivista da primeira geração de fundamentalistas.A princípio chamado de “neo-fundamentalismo”, o evangelicalismo entendia que deveria procurar uma interação maior com questões sociais e, acima de tudo, obter respeitabilidade acadêmica mediante o diálogo com a ciência e com outras linhas dentro da cristandade, sem abrir mão dos “fundamentos”.Eles queriam se livrar da pecha de intransigentes, fechados, bitolados e obscurantistas, ao mesmo tempo em que mantinham doutrinas como a inerrância das Escrituras, a crença em milagres, a morte vicária de Cristo, sua divindade e sua ressurreição de entre os mortos. Eram, por assim dizer, fundamentalistas esclarecidos, que queriam ser reconhecidos academicamente, acima de tudo.O que aconteceu para o evangelicalismo chegasse ao ponto crítico em que se encontra hoje? Tenho algumas idéias que coloco em seguida.1. O diálogo com católicos, liberais, pentecostais e outras linhas sem que os pressupostos doutrinários tivessem sido traçados com clareza. Acredito que podemos dialogar e aprender com quem não é reformado. Contudo, o diálogo deve ser buscado dentro de pressupostos claros e com fronteiras claras. Hoje, os evangélicos têm dificuldades em delinear as fronteiras do verdadeiro cristianismo e de manter as portas fechadas para heresias.2. A adoção do não-exclusivismo como princípio. Ao fazer isso, os evangélicos começaram a abrir a porta para a pluralidade doutrinária, a multiplicidade de eclesiologias e o relativismo moral, sem que tivessem qualquer instrumento poderoso o suficiente para ao menos identificar o que estivesse em desacordo com os pontos cruciais.3. O abandono gradual da aderência a esses pontos cruciais com o objetivo de alargar a base de comunhão com outras linhas dentro da cristandade. Com a redução cada vez maior do que era básico, ficou cada vez mais ampla a definição de evangélico, a ponto de perder em grande parte seu significado original.4. O abandono da confessionalidade, das grandes credos e confissões do passado, que moldaram a fé histórica da Igreja com sua interpretação das Escrituras. Não basta dizer que a Bíblia não tem erros. Arminianos, pelagianos, socinianos, unitários, eteroteólogos, neopentecostais – todos afirmarão isso.O problema está na interpretação que fazem dessa Bíblia inerrante. Ao jogar fora séculos de tradição interpretativa e teológica, os evangélicos ficaram vulneráveis a toda nova interpretação, como a teologia relacional, a teologia da prosperidade, a nova perspectiva sobre Paulo, etc.5. A mudança de uma orientação teológica mais agostiniana e reformada para uma orientação mais arminiana. Isso possibilitou a entrada no meio evangélico de teologias como a teologia relacional, que é filhote do arminianismo. Permitiu também a invasão da espiritualidade mística centrada na experiência, fruto do reavivalismo pelagiano de Charles Finney.Essa mudança também trouxe a depreciação da doutrina em favor do pragmatismo, e também o antropocentrismo no culto, na igreja e na missão, tudo isso produto da visão arminiana da centralidade do homem.Mas talvez o pior de tudo foi a perda da cosmovisão reformada, que serviria de base para uma visão abrangente da cultura, ciência e sociedade, a partir da soberania de Deus sobre todas as áreas da vida. Sem isso, o evangelicalismo mais e mais tem se inclinado a ações isoladas e fragmentadas na área social e política, às vezes sem conexão com a visão cristã de mundo.6. Por fim, a busca de respeitabilidade acadêmica, não somente da parte dos demais cristãos, mas especialmente da parte da academia secular. Essa busca, que por vezes tem esquecido que o opróbrio da cruz é mais aceitável diante de Deus do que o louvor humano, acabou fazendo com que o evangelicalismo, em muitos lugares, submetesse suas instituições teológicas aos padrões educacionais do Estado e das universidades.Padrões esses comprometidos metodológica, filosófica e pedagogicamente com a visão humanística e secularizada do mundo, em que as Escrituras e o cristianismo são estudados de uma perspectiva não cristã. Abriu-se a porta para o velho liberalismo.Não há saída fácil para essa crise. Contudo, vejo a fé reformada como uma alternativa possível e viável para a igreja evangélica brasileira, desde que se mantenha fiel às grandes doutrinas da graça e aos lemas da Reforma, e que faça certo aquilo que os evangélicos não foram capazes de fazer:(1) dialogar e interagir com a diversidade delineando com clareza as fronteiras do cristianismo;(2) abandonar o inclusivismo generalizado e adotar um exclusivismo inteligente e sensível;(3) voltar a valorizar a doutrina, especialmente os pontos fundamentais da fé cristã expressos nos credos e confissões, que moldaram os inícios do movimento evangélico.Talvez assim possamos delinear com mais clareza os contornos da face evangélica em nosso país.x

MINISTÉRIO SALVAÇÃO SÓ EM CRISTO

MINISTÉRIO SALVAÇÃO SÓ EM CRISTO

Á serviço do Senhor Jesus Pregando por todo Brasil!!!!!

Á serviço do Senhor Jesus Pregando por todo Brasil!!!!!
telefone: (12) 3021-2073 / 9107-6291

Á serviço do Senhor Jesus Pregando por todo Brasil!!!!!

Á serviço do Senhor Jesus Pregando por todo Brasil!!!!!
telefone: (12) 3209 5410 / 91076291

cruzada leão da tribo de juda.